Desaparecidos

Existem 64 casos cadastrados, em 14 estados

LUCAS MONTEIRO FERNANDES

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 14/11/2002
Estado: Paraná
WALLISSON COSTA PEREIRA

Array

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 08/01/2009
Estado: Distrito Federal
STEFANI VITORIA ROCHINSKI

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 04/05/2012
Estado: Paraná
Gabriel victor machado

Array

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 04/03/2006
Estado: Roraima
LUCAS WESLEY DA SILVA

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 23/09/2012
Estado: São Paulo
amanda alves

Array

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 24/04/2015
Estado: Rio de Janeiro
LEUZENILDA MARQUES DA ROCHA

Array

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 10/06/2007
Estado: Distrito Federal
ANA LUCIA REGINALDO DE ALMEIDA

Array

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 01/01/1978
Estado: São Paulo
GUILHERME CARAMÊS TIBURTIUS

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 17/06/1991
Estado: Paraná
walderson luiz anunciacao dos santos

Array

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 05/03/2012
Estado: Mato Grosso
EDNILTON PALMA

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 29/03/1992
Estado: Paraná
leonardo mereles duarte

Array

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 25/12/2013
Estado: Espírito Santo
JOãO CLAUDIO MOREIRA PACHECO

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 08/08/2011
Estado: Rio de Janeiro
VITOR CUNHA DOS SANTOS

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 04/12/2012
Estado: Goiás
FABIANA ESPERIDIAO DA SILVA

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 23/12/1995
Estado: São Paulo
VIVIANE DE ARAUJO ALVES

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 20/08/2003
Estado: São Paulo
VANESSA APARECIDA BATISTA GOMES

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 20/03/2013
Estado: Minas Gerais
Thais Ketlen Costa lima

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 15/09/2002
Estado: Roraima
Emivaldo Brayon passos da silva

Array

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 05/03/2014
Estado: Goiás
Ricardo Henrique Acosta Alvarez

Array

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 02/03/2015
Estado: São Paulo
KAIO ALVES INACIO BISPO DOS SANTOS

Array

Desaparecido(a)
Desaparecido(a) em: 11/07/2013
Estado: São Paulo

Início

Parcerias

Nos últimos anos a Secretaria de direitos humanos – SDH, por meio da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente – SNPDCA, apoiou ações de enfrentamento ao desaparecimento de crianças e adolescentes por meio de parcerias firmadas com:

· Caixa Econômica Federal na divulgação de imagens de crianças e adolescentes desaparecidos por meio dos bilhetes lotéricos;

·  Centro Universitário UNICEUB na divulgação de imagens de crianças e adolescentes desaparecidos por meio de material gráfico de campanha dos vestibulares;

·  Fundação Antares de Ensino Superior, Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão - FAESPE para realização de cursos de capacitação para os atores da ReDESAP (polícia militar, polícia civil, policia rodoviária federal, conselheiros de direito, conselheiros tutelares e representantes de ONG’s) de 12 estados: RJ, SP, GO, DF, PA, SE, PR, RS, MG, PE, BA e CE;

·  Departamento de Policia Federal com o objetivo de criar um “Banco de Dados Nacional de Perfis Genéticos de Crianças e Adolescentes Desaparecidos”, através da obtenção dos perfis genéticos dos familiares de crianças e adolescentes desaparecidos, de crianças e adolescentes de filiação incerta e de restos mortais não identificados de crianças e adolescentes;

·  Correios, na divulgação de imagens de crianças e adolescentes desaparecidos por meio de sedex;

·  Departamento de Policia Rodoviária Federal na capacitação de policiais, divulgação de imagens no site da DPRF;

·  Central dos Transportes na divulgação de imagens;

·  Campanha Siga Bem Crianças 2010, 2011 e 2012 divulgação de imagens e da Lei da Busca Imediata (Lei nº 11.259/2005);

·  Fundação Criança de São Bernardo do Campo por meio do projeto “Avaliação e Sistematização de práticas que promovam a localização e a identificação de crianças e adolescentes desaparecidos no município de São Bernardo do Campo”;

·  Policia Civil do Estado de Alagoas por meio do projeto “Atualização do Cadastro da Rede Nacional de Identificação e Localização de Crianças e Adolescentes Desaparecidos – Redesap, no âmbito do Estado de Alagoas”;

·  Centro Internacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas (ICMEC) na realização do 4º Encontro da Rede Global de Crianças Desaparecidas (GMCN) & Encontro Rede Nacional ReDESAP.

Apoia desde 2002 a Rede Nacional de Identificação e Localização de Crianças e Adolescentes Desaparecidos – ReDESAP.
 
A ReDESAP é um movimento da sociedade civil e conta com o apoio institucional da SDH/PR e de outros órgãos de governo, bem como de ONGs,  Conselheiros Tutelares, entre outros.

O intuito da rede é mobilizar as instituições públicas e privadas, com e sem fins lucrativos no instituto de dar visibilidade a temática e buscar apoio para a criação e implementação de estratégias e ações de prevenção ao desaparecimento e localização de crianças e adolescentes  desaparecidos.

 Encontros Nacionais da ReDESAP

A SDH/PR apoiou a realização de três encontros nacionais da ReDESAP, contando com os seguintes parceiros:

·  Caixa Econômica Federal - Realização do I Encontro Nacional - 2005 em Brasília/DF;

·  Fundação para Infância e Adolescência – FIA/RJ – Realização do II Encontro Nacional – 2008 no Rio de Janeiro/RJ;

·  Secretaria Estadual de Segurança Pública do Estado de Roraima – Realização do III Encontro Nacional – 2010 em Boa Vista/RR.

Perguntas frequentes

Veja abaixo as principais perguntas e respostas que podem facilitar sua interação com o Cadastro Nacional, as ações preventivas e de busca e localização na sua cidade:

1. Meu filho desapareceu, o que devo fazer?

Procure a delegacia mais próxima de sua residência e registre o Boletim de Ocorrência.

2. Quanto tempo preciso esperar para procurar uma delegacia e fazer o Boletim de Ocorrência?
Não precisa esperar, procure a delegacia imediatamente para registrar o Boletim de Ocorrência.  É um direito do cidadão garantido pela Lei nº 11.259/2005, conhecida como “Lei da Busca Imediata”.

3. Se a policia se negar em registrar o Boletim de Ocorrência, o que faço?
Procure o Ministério Público de sua cidade ou Conselho Tutelar para garantir o seu direito. Você pode denunciar também através  do Disque Direitos Humanos – 100, essa violação de direito.

4. Quem pode inserir casos no Cadastro Nacional?
Qualquer pessoa pode registrar um caso de desaparecimento no Cadastro Nacional.

5. Quem pode dar baixa no Cadastro Nacional caso o desaparecido seja localizado?
Após a confirmação da localização de uma criança ou adolescente desaparecido a Equipe Técnica Local/Nacional será a responsável pela baixa no Cadastro Nacional.

6. Se o meu filho/filha que estava desaparecido retornou para casa o que devo fazer?
Se uma criança ou adolescente desaparecido retornar para casa ou for localizado é importante ir até a delegacia onde foi feito o Boletim de Ocorrência para que seja dada a baixa no BO. Comunique também ao Conselho Tutelar.

7. Localizei uma criança ou adolescente registrada no Cadastro Nacional como devo proceder?
Procure imediatamente a delegacia de policia  mais próxima e informe o ocorrido dando os detalhes que presenciou. Comunique também ao Conselho Tutelar. Se preferir acione o Disque Direitos Humanos – 100. A ligação é gratuita e sigilosa.

8. É necessário ser da família para fazer o registro de um caso no Cadastro Nacional?
Não é necessário. Qualquer pessoa pode fazer o registro, mesmo não sendo da família. É importante ter o maior número de informações possíveis. Será feito um cadastro para dar acesso ao registro. Tenha também uma fotografia da criança ou adolescente desaparecido. O Cadastro Nacional divulga além dos dados a imagem da criança ou adolescente desaparecido.

9. Posso fazer o registro no Cadastro Nacional sem ter feito ainda o Boletim de Ocorrência?
Pode sim. No registro no Cadastro Nacional mesmo sendo solicitado o número do Boletim de Ocorrência não impede que o mesmo seja validado. Salientamos que é importante o Boletim de Ocorrência para desencadear a investigação policial.

10. Posso não autorizar a coleta de material de DNA?
Sim. A família pode ou não autorizar a coleta de DNA para o Banco Nacional de DNA. Não é condição para o registro do caso no Cadastro Nacional.

11. Posso informar ao Cadastro Nacional a localização de uma criança ou adolescente desaparecido?
Sim. Se você tiver informações envie por email para o endereço O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . Após a informação validada será baixado o registro no Cadastro Nacional. É importante que seja informada a Delegacia onde foi feito o Boletim de Ocorrência para que a mesma encerre a investigação se a localização não foi feita pela policia.

  • Cadastro Nacional de Crianças e Adolescentes Desaparecidos

    Em 17 de dezembro de 2009, foi sancionada a Lei nº 12.127/2009 que cria o Cadastro Nacional de Crianças e Adolescentes Desaparecidos, resultante de uma ampla discussão nacional somada aos trabalhos de investigação da CPI de Crianças e Adolescente… veja +
  • Consultar casos registrados

    As informações sobre situação, estados e municípios disponíveis nesta consulta estão restritas aos dados dos casos registrados no sistema. Se você não encontrou alguma UF ou município na lista, significa que até o momento não há casos dessas… veja +
  • Como cadastrar?

    Para cadastrar um desaparecido você precisa ser um usuário do sistema. Veja a seguir o que você precisa fazer:Se você já é um usuário registrado no sistema, clique no botão abaixo e cadastre um novo desaparecido.INSTRUÇÕES: ao clicar no botão acima… veja +